FEM-CUT/SP reforça cláusulas de garantias ao trabalho digno

Compartilhe

A Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT São Paulo, a FEM-CUT/SP, se reuniu pela sétima vez com a bancada patronal do Grupo 3 (autopeças, forjaria e parafusos). A rodada de negociação da Campanha Salarial 2017 “Resistência Unidade e Luta”, aconteceu na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba, o SMetal.

A discussão foi em torno das cláusulas sociais da Convenção Coletiva. Foram apresentadas novas redações para algumas cláusulas, de ambas as partes. O grupo patronal ficou de analisar em reunião com os empresários na próxima segunda-feira, dia 9.

Um exemplo disso é a cláusula de salvaguarda. O presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, explica que pela proposta patronal a Reforma Trabalhista deve entrar em vigor primeiro para depois se discutir alguns pontos. Já para os trabalhadores é fundamental que se previna uma devassa nos direitos. Por isso, é necessário que essa cláusula esteja contemplada na Convenção.

Entre os pontos dessa cláusula estão: assegurar que seja vedado o contrato intermitente, impedir que a trabalhadora gestante e lactante não trabalhe em locais insalubres, que dispensas coletivas sejam subordinadas à prévia negociação com o sindicato, entre outros.

Um dos pontos solicitados pelos representantes do patronal foi a redução do tempo da cláusula da estabilidade ao trabalhador acidentado e/ou com doença ocupacional.

Luizão respondeu que não há nenhuma possibilidade de se alterar, pois nesses casos a estabilidade deve ser mantida até a aposentadoria.

A próxima reunião da federação para obter um posicionamento do G3 deve ocorrer na terça-feira, dia 10. Mesmo dia em que os sindicatos filiados à Federação se reunirão para avaliar as possíveis propostas e definir os novos rumos da campanha salarial.

“Saímos da reunião na expectativa de que na próxima semana já teremos uma proposta para levar para as assembleias”, afirmou Luizão.

Além da participação do presidente do SMetal Sorocaba, Leandro Soares, a reunião contou com a presença de dirigentes dos sindicatos de Itu, Salto, Matão, Araraquara, ABC e Monte Alto.

 

Início da reunião

Na abertura da mesa, o secretário-geral da FEM/CUT, Adilson Faustino (Carpinha), que também é diretor do SMetal, lembrou que o sindicato, além das questões sindicais é pioneiro no conceito de Sindicato Cidadão. Por isso, fez o convite aos representantes do grupo patronal que as portas estão abertas para o diálogo e para as negociações. “Temos uma série de outras atividades que dialogam com questões sociais da sociedade”.

No mesmo tom, o presidente do SMetal, Leandro Soares, ressaltou que o cenário atual exige o debate sobre qual o papel dos trabalhadores no debate da indústria 4.0 e lembrou que o Sindipeças participa do Rota 2030, assim como o SMetal. “Por isso, é importante termos uma mesa permanente para a construção e debate não somente das cláusulas sociais, mas para a participação dos trabalhadores nesse novo cenário econômico, incluindo a discussão da indústria regional”.

*Com informações da Imprensa/ SMetal

Foto: Foguinho/ Imprensa SMetal


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *