Campanha Salarial 2017: Grupo 3 entrega contra pauta para FEM-CUT/SP

Compartilhe

A Campanha Salarial dos Metalúrgicos da CUT São Paulo começou a todo vapor. Representantes de 14 sindicatos da base da FEM-CUT/SP entregaram a pauta de reivindicações para os grupos patronais. O Grupo 3, que reúne peças, forjaria e parafusos, aproveitou a oportunidade para entregar uma contra pauta para os trabalhadores/as.

Mesmo com a aprovação da Reforma Trabalhista pelo Senado Federal, o setor patronal segue pressionando para a retirada de direitos da classe trabalhadora. “Eles querem garantir, de qualquer forma, que a sua pauta seja atendida. Seja por meio do governo, seja por meio da exclusão de cláusulas importantes e históricas da categoria da Convenção Coletiva de Trabalho”, explica Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP.

Na contramão, a pauta dos trabalhadores é uma pauta de resistência. O advogado da FEM-CUT/SP, Raimundo Oliveira, explica que a pauta condiz com o slogan da campanha “Resistência, Unidade e Luta”. “O documento entregue para os patrões reivindica a eficácia da ultratividade da norma coletiva de trabalho, isto é, a validade do que foi negociado em convenções anteriores, reivindica também a renovação de todas as cláusulas pré-existentes (que estão em vigor) com avanço social pelo período de 2 anos, reúne reivindicações de necessidades concretas do chão de fábrica e também um rol de cláusulas que combate a terceirização irrestrita e os efeitos da retirada de direitos contidas na Reforma Trabalhista”, explica Oliveira.

 

Veja quais são os direitos que o Grupo 3 quer retirar:

Fim da cláusula do acidentado; fim das garantias ao empregado estudante; fim da clausula sobre a mão de obra temporária; fim das regras atuais para as férias; fim das garantias aos empregados em vias de aposentadora; rebaixamento da remuneração aos aprendizes do Senai; suspensão do auxílio creche ao trabalhador que estiver afastado ou com o contrato de trabalho suspenso; novas formas de reajuste dos preços e transporte e alimentação; fim dos 10 dias de licença amamentação.

 

Agência de notícias da FEM-CUT/SP – Foto: Marina Selerges


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *