Amanhã (31) tem mobilização contra o desmonte de Temer e esquenta para greve geral

Compartilhe

As Estaduais da CUT dos 26 Estados do Brasil e do Distrito Federal farão nesta sexta-feira (31) um Dia Nacional de Mobilização contra o desmonte da aposentadoria e da CLT e para impedir a sanção pelo governo Temer do Projeto de Lei 4302/1998, aprovado por 231 deputados no último dia 22.

 

Além de liberar a terceirização para todas as áreas das empresas, ao aprovar o PL 4302, os deputados aprovaram também o aumento dos prazos dos contratos temporários de três meses para 180 dias, prorrogável por mais 90 dias. Isso significa um contrato de trabalho de nove meses ou mais sem direitos trabalhistas como, seguro-desemprego, estabilidade para gestantes e verbas rescisórias como o aviso prévio e os 40% de multa do FGTS.

 

E na semana que vem os deputados da base do governo Temer se preparam para votar o fim das aposentadorias.

 

#ReajaAgoraOuMorraTrabalhando

Em São Paulo, tem atos a partir das 16h, na Avenida Paulista, em frente ao MASP; e na Praça do Patriarca, onde estarão os professores Municipais. Depois, todos sairão em passeata até a Praça da República, onde se encontrarão às 18h.

 

O Dia Nacional de Mobilização está sendo organizado em conjunto com a CTB, a Intersindical e as entidades que formam as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. É um “esquenta” para a greve geral do dia 28 de abril.

 

Na avaliação do presidente Nacional da CUT, Vagner Freitas, tirar a Dilma era só o primeiro passo do golpe, os outros, e mais importantes, eram acabar com a proteção social e os direitos da classe trabalhadora.

 

“É por isso que os empresários financiaram o golpe. E é também por isso que Temer tem pressa em tirar a pele do trabalhador brasileiro com as reformas da Previdência e Trabalhista, com terceirização geral e irrestrita e contratos temporários de até nove meses, como prevê o texto do PL 4302, aprovado na Câmara dos Deputados. O mercado deu um prazo para ele, ou aprova o desmonte dos direitos ou cai fora”.

 

Para ela, ao invés de tirar direitos, governo tem de propor medidas que estimulem o crescimento econômico, a formalização do trabalho, o crescimento da produtividade e o aumento das receitas da Previdência.

 

“Os projetos de desmonte da aposentadoria e da CLT de Temer não geram emprego nem resolvem o ‘suposto’ rombo da Previdência, como diz o governo. O que gera emprego é um projeto de desenvolvimento inclusivo, com investimentos em infraestrutura, inovação tecnológica e aumento de produtividade.”

 

Vagner rebate os argumentos de Temer e dos deputados de que as reformas são necessárias para modernizar a lei e garantir mais empregos e impedir a falência da Previdência. Para o dirigente, “a ampliação da terceirização vai multiplicar as formas de trabalhos precários, com salários baixos, fim de benefícios como vale refeição, auxílio creche e outros; vai aumentar ainda mais a rotatividade e os acidentes nos locais de trabalho; vai estimular a “pejotização” e a criação de MEIs. O que teremos cada vez menos é trabalhador contribuindo com o INSS”.

 

Confira as manifestações já confirmadas:

 

Acre

Convocando atos em todos os municípios

 

Alagoas

9 horas – Praça Deodoro, em Maceió

 

Amapá

16 horas – Ato na Praça Veiga Cabral, em Macapá

 

Bahia

7 horas – Manifestação em frente ao Iguatemi, na cidade de Salvador

9 horas – Ato Praça do Fórum Ruy Barbosa/Campo da Pólvora, também em Salvador

 

Ceará

15 horas – Ato na Praça das Bandeiras, em Fortaleza

 

Distrito Federal

Mobilização em 13 Cidades Administrativas

Final da Tarde Grande Panfletagem na Rodoviária

 

Espírito Santo

18 horas – Mobilização em frente à Gazeta

 

Goiás

9 horas – Concentração em Frente à Assembleia Legislativa com caminhada pelo centro de Goiânia

 

Maranhão

15 horas – Grande panfletagem no centro de São Luís

 

Minas Gerais

16 horas – Manifestação na Praça da Estação, em Juiz de Fora

17 horas – Ato na Assembleia Legislativa

17 horas – Mobilização na Praça Tiradentes, em Ouro Preto

 

Mato Grosso

9 horas – Ato na Câmara de Vereadores de Cuibá

 

Pará

8h30 –Duas concentrações em frente ao mercado de São Braz e na Almirante Barroso em frente do TJE com caminhadas parando na agência do BASA, SEAD e ato publico em frente ao TRT

 

Atos também em Marabá, Santarém e Altamira

 

Paraíba

15 horas – Mobilização em frente ao Lyceu Paraibano, em João Pessoa

 

Pernambuco

15 horas – Atividade na Praça do Diário, em Recife

 

Piauí

9 horas – Ato em frente ao TRT, no centro de Teresina

 

Paraná

18 horas – Manifestação na Praça Carlos Gomes, em Curitiba

 

Rio de Janeiro

16 horas – Ato na Candelária, centro do Rio de Janeiro

 

Rio Grande do Norte

14 horas – Ato em frente ao Shopping Midway (Natal) com Centrais Sindicais e Movimentos Sociais

 

Roraima

16 horas – Concentração em frente à Assembleia Legislativa com fala das Centrais e Sindicatos e Caminhada até a Praça Fabio Paracat (Boa Vista) onde se encerra o ato.

 

Rio Grande do Sul

17h – Atividade no Mercado Público de Pelotas

18 horas – Manifestação na Esquina Democrática (Porto Alegre)

 

Santa Catarina

17h30 – Ato vigília, acompanhamento da audiência publica e atividade noturna em Chapecó

Também terão atos em Joinville e Concórdia

Florianópolis terá assembleias dos trabalhadores da educação e saúde no dia 28 e audiência público com o senador Paulo Paim (PT-RS) no dia 3 de abril.

 

Sergipe

14 horas – Concentração na Praça General Valadão (Aracaju) com caminhada pelo centro da cidade

 

São Paulo

16 horas – Ato no MASP

 

Tocantis

17 horas – Panfletagem nas Feira Popular, no centro de Palmas

Assembleias em locais de trabalho em todo o estado

 

(Fonte: CUT Nacional)


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *