Contra Reforma da Previdência, metalúrgicos do ABC ocupam Rodovia dos Imigrantes

Compartilhe

Os Metalúrgicos do ABC realizaram nesta terça-feira (7), em Diadema, uma manifestação contra a proposta de Reforma da Previdência apresentada pelo governo federal, em tramitação no Congresso Nacional por meio da PEC 287. A Reforma Trabalhista e o Projeto de Terceirização também estavam em pauta neste dia de luta.

“Esta Reforma da Previdência é uma reforma nefasta nunca visto em nenhum lugar no mundo. Eles justificam que em outros países a idade mínima para aposentadoria é maior que 60 anos, mas não levam em consideração jornada de trabalho, expectativa de vida, sem contar o fator previdenciário. Reformar a previdência nestes termos é retroceder mais de 100 anos, é voltar à escravidão”, explica Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP.

“Nós estamos aqui lutando pelos nossos direitos, lutando contra essa Reforma da Previdência que, se aprovada, vai nos obrigar trabalhar até a morte”, explica Andrea Sousa, secretária da Mulher da FEM-CUT/SP.

“Em conjunto com Reformas da Previdência e Trabalhista, é importante destacar que o governo e os patrões querem impor à classe trabalhadora a tal da “Modernização”, alerta Luizão. “Essa modernização impõe retrocessos para o conjunto de trabalhadores/as brasileiros. Um exemplo é o fracionamento das férias”, finaliza Luizão.

Participaram do ato cerca de 5 mil trabalhadores das empresas metalúrgicas da cidade, além de grupos de trabalhadores das fábricas de São Bernardo, incluindo as montadoras.

Por volta das 7 horas, os trabalhadores de Diadema, divididos em três grupos, saíram em passeata de suas fábricas sentido à Rodovia dos Imigrantes.

Comitê regional

Como parte da agenda de resistência e enfrentamento em relação à proposta, os Metalúrgicos do ABC e os demais sindicatos da região fizeram na manhã desta segunda-feira (6) o lançamento do “Comitê Regional do ABC contra a Reforma da Previdência”. O evento aconteceu na sede do Sindicato dos Químicos, em Santo André, e contou com a presença do ex-ministro da Previdência Social Carlos Gabas, Sonia Coelho, da Marcha Mundial das Mulheres e dos deputados federais Arlindo Chinaglia (PT-SP) e Vicentinho (PT-SP) que debateram o tema.

O secretário-geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, destacou que o objetivo do comitê é unificar as ações de mobilização das entidades no sentido de conscientizar a classe trabalhadora da região sobre as mudanças na Previdência. “Será importante ampliar o alcance de nossas atividades e unificar nossa luta e discurso para o enfretamento a esta reforma injusta e cruel”, afirmou.

Agência de notícias da  FEM-CUT/SP


Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *